Atividade Física e Gravidez

Nas últimas décadas têm-se medicalizado cada vez mais a gravidez, principalmente em nosso país onde o índice de partos cesáreos está entre os maiores do mundo. Em vista disto muitas pessoas tratam a gravidez como doença, sem razão para tal.

Durante a gravidez, como, aliás, durante as outras fases da vida, a atividade física praticada de forma regular e adequada constitui uma das funções ideais para uma boa manutenção da forma física, uma evolução mais harmoniosa do organismo materno durante a gestação, e uma melhor recuperação após o parto. O próprio parto, aliás, é grandemente beneficiado se a futura mãe praticar uma atividade física regular durante a gravidez. Por outro lado, as sensações desagradáveis que a gravidez provoca em muitos casos, como as dores articulares, musculares e pernas pesadas, diminuem de forma importante se houver exercício físico moderado.

O exercício vai melhorar o humor, ajudar a dormir durante a noite, já que depressão, irritabilidade e insônia são queixas comuns durante o pré-natal. Fazer exercício com o parceiro, quer seja dar um passeio, vai ajudar a desfrutar esta fase, despreocupada, juntos como um casal.

È importante ressaltar que diversos órgão internacionais como Organização Mundial de Saúde, Centers for Disease Control and Prevention, American College of Sports Medicine, American Heart Associantion e , no Brasil, o programa Agita São Paulo recomendam que todo cidadão deva fazer atividade física pelo menos 30 minuos por dia, na maior parte dos dias da semana, de forma contínua.

É necessário, no entanto, que antes de se dedicar a praticar ginástica ou qualquer outra forma de exercício, a futura mãe consulte o seu médico a fim de saber se eventualmente existem contra-indicações à atividades físicas específicas. Isto é válido, sobretudo, nos casos em que a grávida não tem hábitos de exercício regulares.

Pode-se afirmar que qualquer forma de exercício é segura desde que praticada com moderação. È de bom senso que atividades que acarretem o risco de traumatizar a mãe ou o feto, como os desportos radicais, estão desaconselhadas durante esta fase e devem ser substituídas por outras modalidades mais seguras.

Existem em muitos locais, aulas de “ginástica para grávidas”. Embora normalmente sejam ministradas por profissionais credenciados e com prática, convém sempre informar-se sobre a idoneidade e competência profissional de quem orienta essas aulas, sendo um exercício bastante aconselhável para grávidas as aulas de hidroginástica.

De acordo com os “guidelines” do American College of Obstetricians and Gynecologists, existem determinadas recomendações a ter em conta e para que chamamos a melhor atenção:

i. Faça exercício pelo menos 3 vezes por semana, durante um mínimo de 20 minutos de cada vez. Evite sessões de exercícios intensos seguidos de longos períodos de inatividade.

ii. Evite exercícios que a obriguem a deitar-se de barriga após o terceiro mês de gravidez.

iii. Evite longos períodos em pé sem se mexer.

iv. Evite exercício intenso em ambientes quentes, úmidos ou se tiver febre.

v. Se sentir que algo não está bem durante um determinado exercício, não o faça.

vi. Evite movimentos ou atividades com impactos freqüentes ou violentos.

vii. Utilize um soutien que dê um bom apoio e proteja convenientemente o seu peito. É natural que tenha de comprar tamanhos maiores durante a gravidez.

viii. Use calçado apropriado, de modo a que os pés e tornozelos estejam bem protegidos e não escorreguem.

ix. Lembre-se que o seu centro de gravidade, e por conseguinte o seu equilíbrio, mudam durante a gravidez, devido ao peso crescente do bebe.

x. Evite exercícios em que tenha de dobrar demasiado os joelhos, levantamentos simultâneos das duas pernas, e saltos com as pernas esticadas (devem amortecer a queda).

xi. Comece sempre com 5 minutos de marcha lenta ou bicicleta estática com pouca resistência, para aquecer bem os músculos. O exercício mais intenso não deve exceder os 15 minutos seguidos.

xii. Após o exercício mais intenso faça 5 a 10 minutos de atividade gradualmente menos intensa, que deve terminar com exercícios suaves de relaxamento muscular (“stretching”).

xiii. Não se canse demasiado, nunca fique exausta!

xiv. Meça o seu ritmo cardíaco durante as fases de exercício mais ativo. O ritmo não deve exceder as 140 pulsações por minuto.

xv. Após um exercício no chão, levante-se lentamente para evitar vertigens. Após estar de pé, ande durante um ou dois minutos.

xvi. Beba água ant7es, durante e após a sessão de ginástica. Lembre-se que o seu corpo necessita de estar hidratado.

xvii. Aumente o número de calorias diárias de acordo com as necessidades da gravidez (ver “Alimentação”), ou seja, cerca de 300 calorias extra por dia. Durante a gravidez não deve fazer exercício com o objetivo de perder peso!

xviii. Pare o exercício e consulte o seu médico se sentir algum dos seguintes sintomas:

a. Dor

b. Hemorragia vaginal

c. Vertigens ou desmaio

d. Falta de ar

e. Batimentos cardíacos irregulares ou excessivamente rápidos (mais de 160)

f. Dificuldade em andar

g. Dores nas costas ou zona do púbis

h. Contrações uterinas

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: